Fly Paraquedismo Londrina
Flycuritiba Flycuritiba Flycuritiba Flycuritiba
 
(0)

Segurança

•   Código Esportivo da CBPq 2016
•   CIS Folha de progressao licenca A
•   Folha de progressao velame
•   CIS Folha de progressao de dobragem
•   CIS Prova Mudanca Cat CBPq
•   CIS Folha de Progressao Treinador
•   CIS Folha de Progressao Instrutor AFF

MODELO DE BANNER PARA EMBARQUE

  • Cheque seu equipamento: Pinos, Punhos, DAA, Ajuste de harness.
  • Cheque seu material: Capacete, Altímetros, Óculos .
  • Verifique a biruta, seta, sentido e direção de pouso.
  • Localize sua área prevista de pouso e defina sua navegação.
  • É mais importante pousar em segurança, livre de obstáculos e tráfego do que próximo ao alvo.
  • Olhe sempre antes de fazer uma curva.
  • Certifique que o espaço está livre de tráfego.
  • Seja sempre previsível nas manobras mantendo a navegação padrão.
  • Observe a sequência de saída, altura de comando e ordem de pouso dos velames.
  • Velames mais baixos tem prioridade no pouso, mantenha distância.
  • Somente curvas de até 90 graus no circuito de tráfego.
  • Pouse seu velame em linha reta  e rota previsível.
  • Pouso de alta performance deve ser previamente comunicado ao RTA e a todos na decolagem.

* Quaisquer transgressões a estas regras estão sujeitas a advertência e suspensão temporária ou definitiva.

CHAMADA  DE  AÇÃO  -  URGENTE

  • Com o crescente aumento dos acidentes e incidentes na fase de navegação e pouso em todo o paraquedismo, chamamos todos os Dirigentes, Instrutores, Atletas e Alunos para uma ação conjunta de todos buscando implantar uma filosofia de compromisso de todos com a segurança no esporte.
  • Os acidentes nesta fase do salto podem afetar qualquer um, portanto é responsabilidade de todos estar atento a estas situações e ajudar a disseminar a prevenção e conhecimento na navegação e pouso.

AOS ATLETAS

  • Conhecer e respeitar as regras padrões de segurança, não realizar curvas maior do que 90 graus a partir do momento que ingressar no circuito de tráfego.
  • Qualquer intenção de pouso de alta performance deve ser avisada previamente ao responsável pelas atividades e aos demais paraquedistas da decolagem. Pouse em área específica para esta modalidade.
  • Estar atento a todos os demais velames que estão na decolagem e se posicionar na navegação respeitando a ordem de pouso dando prioridade para os velames que estão abaixo e levando em conta o tamanho dos velames.
  • Realizar sempre uma NAVEGAÇÃO PREVISÍVEL com manobras que possam ser esperadas pelos demais paraquedistas no céu.
  • Sempre certificar-se da altura que se encontra e olhar para a direção onde pretende fazer a curva antes de realizá-la para ter certeza que o caminho está livre de obstáculo.
  • Curvas maiores de 180 graus não permitem total visão do espaço aéreo que o velame irá invadir, portanto são DESNECESSÁRIAS em qualquer fase do salto. Caso necessite perder altura faça duas curvas de 180 certificando-se da referência entre elas.
  • Ajude a disseminar estas informações entre todos os paraquedistas especialmente aos mais novos que estão ingressando no esporte.
  • Ao presenciar qualquer situação de desrespeito as normas ou situações de risco procure o responsável pela segurança na navegação e reporte o ocorrido.
  • Presenciando ainda uma situação desta natureza pode procurar conversar com o envolvido de forma a orientar o atleta mas sem criar um ambiente de repressão.

AOS RESPONSÁVEIS POR ATIVIDADES

  • Disseminar as informações de segurança e padrão de navegação através de Banners, palestras e briefings entre todos que freqüentam as atividades.
  • Estabelecer através de SETA em solo a direção e sentido de pouso obrigatório para a decolagem, esta seta deve ser controlada pelo supervisor de navegação, RTA ou um instrutor designado para isto.
  • Determinar áreas de pouso distintas para Pouso Padrão e Pouso de Alta Performance. Enviar ao CIS este padrão.
  • Designar uma pessoa responsável por assistir e supervisionar as navegações durante toda a atividade de saltos para que este possa observar situações de risco e reportar ao RTA. Esta pessoa poderá também receber as informações dos demais atletas que possam ter presenciado alguma situação de risco. Este supervisor pode ser um atleta experiente, conhecedor do padrão de pouso local e de confiança do RTA. Pode ainda ser revezado no decorrer das atividades.
  • Registrar fisicamente as situações presenciadas pelo supervisor com nome dos envolvidos e data.
  • Advertir ou suspender (temporária ou definitivamente) os envolvidos em situações de risco registrando também fisicamente.
  • Divulgar as advertências para fins de aprendizado de todos e não de denegrir a imagem dos envolvidos.
  • Reportar ao CIS as situações de risco através do “Relatório de Prevenção”  já existente do programa PEPA.
Avenida Manoel Ribas, 150
São Francisco – Curitiba – PR CEP: 80510-020
CIA
by Colere Design © 2011 - 2017